Vereador petista que invadiu igreja em Curitiba tem pedido de cassação aprovado no Conselho de Ética

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Curitiba (PR) acatou, por 5 votos a 2, o parecer que pede a cassação do mandato do vereador Renato Freitas (PT) por infração ético-disciplinar e quebra de decoro parlamentar por abuso de prerrogativas.

O vereador é acusado de perturbar a prática de culto religioso e liderar um grupo de manifestantes que teriam entrado sem autorização na Igreja do Rosário, em Curitiba, após uma missa, no início de fevereiro.

No parecer, aprovado na última terça-feira, 10, o relator Sidnei Toaldo (Patriota) reconheceu que Freitas não interrompeu a celebração, tese defendida por alguns vereadores, mas disse que houve perturbação de prática de culto. A pena de cassação, porém, foi proposta por Toaldo por “realização de ato político no interior da igreja”.

“É possível constatar o representado na frente do altar aos gritos dirigindo-se aos manifestantes cujo grupo portava bandeiras e camisetas com conteúdo político e ideológico”, apontou em relatório. Ele cita, ainda que os manifestantes gritavam palavras de ordem como “fora Bolsonaro” e carregavam bandeiras do Partido Comunista Brasileiro. “Em nenhum momento o vereador deixa a liderança nem pede que os manifestantes se abstenham de tais práticas”, completou o relator.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.