Noticias de ultima hora

Sexta feira 13

Sexta feira 13, pensei que seria pior hoje.

Semana cheia de assuntos polêmicos e quando chegamos na sexta feira parece que o Brasil resolve nos dar uma folga, que bom!

Na verdade eu estava aqui pensando em escrever sobre a polêmica capa da revista Isto É, estava aqui lendo algumas matérias e recordando de algumas capas de revistas eu mesmo assinei por muitos anos a revista Veja, li e vi diversas capas de revistas com vários presidentes assinei a Veja desde o período do FHC até a Dilma e minha mãe assinou a Época por mais de dez anos, enfim, vi diversas capas que pegavam pesado com os presidentes por que a imprensa é e sempre foi e deverá continuar sendo um dos pilares da nossa democracia, forte, atuante e vigilante, se a capa desta edição foi esteticamente de mal gosto, pra muitos foi sim, pra mim não, se há um exagero retórico em cima dos defeitos do Bolsonaro, com certeza, mas a vigilância sobre ele deve continuar sim, apesar que nenhum dos nossos presidentes foi tão observado quanto o atual, mas isso, não nos impede de achar que uma das funções da imprensa é realmente vigiar, cobrar e se necessário constranger aqueles que voluntariamente decidiram ser nossos governantes.

E por falar em governantes é sobre isso que gostaria de falar com vocês hoje!

Não há uma teoria correta para explicar esse medo da sexta feira 13, parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia como esse medo é conhecido, mas sim a data nos remete a um dia de azar, inclusive que na numerologia 12 é um número perfeito e o 13 imperfeito, mas, passado esse momento de cultura inútil, quis falar da sexta feira 13, porque não vamos chegar no domingo 15 sem passar na sexta feira 13 e domingo 15/11/2020 será um dia importante para o Brasil, pois novamente iremos as urnas no Brasil, no ano mais complicado desde de a independência do Brasil, o ano que não começou, todos fomos afetados de alguma forma e ainda passamos ou por uma indefinição com a possível segunda onda.

Não importa como fomos afetados porquê de maneira irreversível não podemos voltar no tempo e corrigir os erros de nossos governantes, mas poderemos sim evitar que outros excessos venham ocorrer no próximo mandato, falando de 2020 será impossível falar neste ano pelas próximas gerações sem não citar a quarentena, não vou falar exclusivamente aqui da quarentena pois não é esse meu intuito, mas as eleições também foram afetadas, temos que entender que, falando como um soro positivo ao corona, ok, os próximos prefeitos das cidades do Brasil, mais precisamente os 5.570 municípios do Brasil, seguirão as medidas sanitárias que de alguma forma prejudicaram muito nossa economia ou adotarão outra medidas, sejam elas mais severas ou mais flexíveis, mas serão eles que decidirão como que será conduzido o combate a pandemia,  durante a história da humanidade algumas pandemias foram largamente conhecidas e, desde a pandemia de lepra nos últimos séculos antes da era cristã e nos primeiros séculos da era cristã, a quarentena era sempre para os infectados e foi assim até a última pandemia desta vez nossos governantes decidiram fechar em suas casas as pessoas sadias e falo isso de maneira global, tudo isso em defesa a uma suposta preocupação com um colapso da rede hospitalar no Brasil, me pergunto que desde que me compreendo como ser humano e brasileiro, nunca vi, em tempo algum, um hospital que não estivesse em colapso, que houve vagas em UTIs públicas, quando elas existem, mas nossos sábios e competentes governantes gastaram milhares de reais com respiradores, praticamente nunca usados, hospitais de campanhas que foram desmontados sem nunca terem sidos usados, gastando sem licitação pública outros produtos como termômetros ou oxímetros.

Infelizmente, não se provou, CIENTIFICAMENTE, que o lockdown salvou uma única vida, no Brasil, mas devido a este lockdown , algumas politicas públicas foram adotadas e explodiram nossa economia de forma que nos custará diversos anos para recuperar a economia nacional, medidas impopulares são medidas que normalmente não se transformam em votos em uma próxima eleição, cito, como uma reforma tributária, onde uma redução de impostos afetará diversos investimentos ou as já tão onerosas folhas de pagamentos do funcionalismo público nacional, um dos maiores do mundo, mas as politicas adotadas, vou falar exclusivamente agora como paulista, pelos governos estaduais e municipais beiraram as ditatoriais, em SP, portas de comércios foram soldadas, pessoas em praças ou em praias foram presas, enquanto condenados foram soltos, em maio, a associação de shoppings do estado de SP, já contabilizavam 120.000 postos de trabalhos fechados e 15 mil lojas falidas, repito estes dados são de maio, chegamos a estimar que 5.000.000 estarão em situação de miséria nos próximos 60 dias.

Ao votar na próxima eleição, domingo próximo, você analisou as propostas do seu candidato em relação ao enfrentamento da pandemia, mas também ao enfrentamento ao vírus do governo inconsequente, estamos tendo nossa liberdade ameaçada, a liberdade que conquistamos com sacrifício da vida de milhares de soldados que nos campos de batalha europeus ou no pacifico lutaram contras as forças do Eixo e garantiram que essa geração não teria que passar por campos de concentração, liberdade que nosso Exército, o grandioso Exército de Caxias, garantiram nos campos italianos, querem nos obrigar não apenas a ficar em casa e criar uma nova realidade social, mas nos adestrar como doceis animais que tem seus “donos” preocupados porque você não sabe o que é melhor pra você, mas seu governador sabe.

Eu posso escrever um livro aqui, meu candidato, em minha cidade apesar de uma grande aproximação com o governador, me garantiu que não adotará todas as medidas que vem de SP, mas, como bom conservador que sou, sou cético o suficiente para não acreditar totalmente nele, mas eu já o havia confrontado sobre este assunto.

Você que vive a vida real, que ainda pega ônibus lotado, precisa pagar suas contas nas quilométricas filas das casas lotéricas, ou recebe seu auxilio emergencial e enfrenta um banco como a CEF trabalhando com horário reduzido, você tenha cuidado em quem deposita sua confiança e seu voto, não vou ficar aqui dizendo o que é certo ou errado, eu sei o que é, posso garantir, 70% das medidas não foram corretas, falaremos sobre isso em um artigo próximo, mas sei que sim, você tem a obrigação não apenas de votar bem, mas também de ter o discernimento mínimo para saber quando desobedecer seus péssimos líderes.

Vamos lá, vamos manter a fé, fé no Brasil, Deus nos guarde e nos abençoe.

Autor: Léo Godinho