Noticias de ultima hora

Coronavac, lugar de fala, to tomando posse desse assunto!

“Lugar de fala é um conceito com múltiplas origens e usado em diferentes contextos. Na análise do discurso de vertente francesa, é utilizado por autores como BourdieuFoucaultButler e Orlandi. Estes autores falam das relações de poder presentes nos diferentes tipos de discurso de acordo com seus enunciadores, e a posição ocupada enquanto o discurso é enunciado.

No Brasil, o termo foi popularizado através de seu sentido utilizado pela filósofa Djamila Ribeiro, em seu livro O que é lugar de fala?. Segundo a autora, embora não negue o aspecto individual, o lugar de fala confere uma ênfase ao lugar social ocupado pelos sujeitos numa matriz de dominação e opressão, dentro das relações de poder, ou seja, às condições sociais 66(ou locus social) que autorizam ou negam o acesso de determinados grupos a lugares de cidadania. Trata-se, portanto, do reconhecimento do caráter coletivo que rege as oportunidades e constrangimentos que atravessam os sujeitos pertencentes a determinado grupo social e que sobrepõe o aspecto individualizado das experiências.” (https://pt.wikipedia.org/wiki/Lugar_de_fala#:~:text=Lugar%20de%20fala%20%C3%A9%20um,%2C%20Foucault%2C%20Butler%20e%20Orlandi.)

De ante mão, já vou avisando que não concordo com o pensamento acima citado, mas é relevante sobre o assunto que vamos abordar, já que vou falar da vacina Coronavac, que está sendo estudada pelo nosso Instituto Butantã e a gigante Chinesa Sinovac.

Mas Léo por que o tal do lugar de fala? Simples, eu fui contaminado pelo Covid 19, então estou falando de uma pessoa que viveu recentemente alguns dos sintomas desta doença.

Quase trinta dias atrás eu comecei a tossir de maneira ininterrupta, boa parte do dia tossindo e tive febre por uns dois ou três dias, antes de fazer uma semana tossindo da forma que estava fui convencido por amigos que realmente estavam se mostrando preocupados comigo, a procurar um médico, que ao adentrar o PS, logo viu sendo isolado devido a tosse, o medico mal conversou comigo me deu algumas instruções, me passou uma medicação e mandou eu fazer os exames, aquela haste insuportável no nariz outra rápida na garganta e ISOLAMENTO SOCIAL, fiquei longe de tudo e todos inclusive de minhas filhas e 8 dias após chegou o resultado, REAGENTE, não precisei de ser internado, não tive a maioria do sintomas mas meu paladar foi pro espaço e a tosse me deixava sem ar, conversar em alguns momentos era um terror, não conseguia falar por alguns minutos simples, falar ao telefone me desgastava demais.

Me recuperei bem e estou bem, ainda tenho alguns picos de tosse, minha capacidade pulmonar ainda não esta 100% mas já passou dos 75%, pra mim, foi uma gripe MUITO FORTE, mas nada mais que isso, mas pude perceber que essa questão da falta de ar é algo terrível, quando o ar me faltava eu mesmo deitado tinha que parar me concentrar relaxar para puxar o ar devagar com calma e sentir meu pulmão inflando de maneira lenta, cara é terrível!

Logo após minha recuperação, a poucos dias descobri que estou na linha dos imunes, durante 6 a 8 meses, logo se a vacinação vier agora nos próximos três a quatro meses eu provavelmente não precisarei me vacinar, por ter uma resposta imune, inclusive lendo uma matéria da BBC quanto maior a gravidade da doença maior a resposta imune do ex infectado, logo, acho que fiquei com uma imunidade mediana.

Vamos para o assunto de hoje, no último dia 29 infelizmente faleceu um dos voluntários que estavam fazendo os testes da vacina Coronavac, os portais que noticiaram o infeliz acontecimento, todos falaram da reação do diretor do Instituto Butantã, Dimas Tadeu Covas, cientista, pesquisador, professor, presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, professor titular da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, resumindo um homem absurdamente qualificado, se antecipou dizendo que não era necessário que as pesquisas fossem suspensas, pois a morte do voluntario não teve ligação direta com a vacina:

Primeiro, a Anvisa foi notificada de um óbito, não de um efeito adverso. Isso é um pouco diferente. Nós até estranhamos essa decisão da Anvisa, porque é um óbito não relacionado à vacina. Como são mais de 10 mil voluntários neste momento, podem acontecer óbitos. O sujeito pode ter um acidente de trânsito e morrer”, disse Covas a TV Cultura, mas como pesquisador extremamente qualificado como  deve ter ficado ciente que se fosse um acidente de carro a Anvisa saberia que o fato não esta ligado a vacina, em outros países que também estão testando outras vacinas, a de Oxford, foi interrompida porque um paciente apresentou sintomas de uma doença neurológica, bem como um voluntário da Vacina Johnson & Johnson os estudos foram suspensos por causa de uma doença inexplicada, porque não suspenderíamos as pesquisas no Brasil.

Falando nisso, a Pfizer anunciou que a Vacina Johnson & Johnson esta chegando em 90% de eficiência, tanto a Sinovac como a Pfizer estão na fase 3 de testes a última fase antes da aprovação.

As três fases de testes são:

Antes de começar os testes em voluntários, a imunização passa por diversas fases de experimentação pré-clínica (em laboratório e com cobaias). Só após ser avaliada sua segurança e eficácia é que começam os testes em humanos, a chamada fase clínica – que são três:

  • Fase 1: é uma avaliação preliminar da segurança do imunizante, ela é feita com um número reduzido de voluntários adultos saudáveis que são monitorados de perto. É neste momento que se entende qual é o tipo de resposta que o imunizante produz no corpo. Ela é aplicada em dezenas de participantes do experimento.
  • Fase 2: na segunda fase, o estudo clínico é ampliado e tem centenas de voluntários. A vacina é administrada a pessoas com características (como idade e saúde física) semelhantes àquelas para as quais a nova vacina é destinada. Nessa fase é avaliada a segurança da vacina, imunogenicidade (ou a capacidade da proteção), a dosagem e como deve ser administrada.
  • Fase 3: ensaio em larga escala (com milhares de indivíduos) que precisa fornecer uma avaliação definitiva da sua eficácia e segurança em maiores populações. Além disso, feita para prever eventos adversos e garantir a durabilidade da proteção. Apenas depois desta fase é que se pode fazer um registro sanitário.

O que me deixa preocupado é a politização do evento, o presidente Bolsonaro soltou uma nas redes sociais que estava ganhando do governador de SP, porque a pesquisa foi suspensa, o governo de SP, por intermédio do Instituto Butantã, diz que não precisa suspender os testes, será que realmente é necessário sair correndo pra ver quem faz primeiro a vacina? O que importa não é o mundo ter uma vacina verdadeiramente eficaz onde podemos confiar que tal vacina não se comporte como a vacina da dengue, que a vacina foi comprovada ser pior que a doença, vou deixar aqui o link de uma matéria sobre o assunto.

Nos interessa que nossos governantes e autoridades de saúde estejam voltadas com todas as forças para solucionar esse problema sério em nossa sociedade, se uma criança fica com tais sintomas, que eu sofri já são terríveis um idoso então não consigo nem vislumbrar.

Hora de amadurecermos como nação, sem defesas deste ou daquele político de estimação onde enquadramos nossa bolha social, será que estamos eternamente condenados a viver neste circulo vicioso, deixando a vontade de alguns seres “iluminados” onde eles decidem por nós como se crianças fossemos precisando de pais para nos conduzir e não nos perder.

Nossa vida e vontade deve prevalecer sobre estas vontades de alguns seres que acham que nos dominam.

No lugar de buscar sentido para nossas vidas se baseando nas vontades dos nossos governantes, vamos fazer prevalecer nossa vontade, aquela que sabe o que é bom para nós.

Cobre seu governante, seu parlamentar para obter resultados práticos e objetivos, falo sobre isso com meu “lugar de fala”, eu peguei, não foi uma gripezinha como diz um, nem fiquei entre a vida e a morte como disse o outro, mas mesmo não sendo a pior das doenças não quero que ninguém passe pelo que passei.

E aí governantes, vamos largar a campanha de 2022 e governar esse negócio? Que falta faz o Poder Moderador do Império.

Fé no Brasil, bola pra frente

Está ficando chato pensar Brasil!

https://saude.abril.com.br/medicina/anvisa-muda-indicacao-da-vacina-contra-dengue-quem-deve-tomar-agora/ (link da matéria sobre a Vacina da Dengue)

Referencias deste artigo

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-52462544

https://www.dw.com/pt-br/anvisa-suspende-testes-da-coronavac-ap%C3%B3s-morte-de-volunt%C3%A1rio/a-55552027

https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/11/10/apos-anvisa-suspender-coronavac-bolsonaro-diz-que-ganhou-de-doria.htm

https://g1.globo.com/bemestar/vacina/noticia/2020/11/09/anvisa-suspende-temporariamente-ensaio-clinico-da-coronavac.ghtml

https://istoe.com.br/anvisa-suspende-testes-da-coronavac-por-evento-adverso-grave/

Autor: Léo Godinho